EFERoma

Instituições e municípios de toda a Itália puseram hoje as suas bandeiras a meia-haste para recordar as vítimas do coronavírus, homenagear os que o enfrentam e mostrar unidade na crise de saúde que afeta todo o país, sobretudo o norte.

Ao meio-dia, Itália vai também realizar um minuto de silêncio com o mesmo objetivo, honrar as vítimas da pandemia, que já infetou mais de 100.000 pessoas em todo o país e matou 11.501, segundo os últimos dados da Proteção Civil.

A bandeira tricolor italiana ondeia esta terça-feira a meia-haste nas mais altas instituições do país, como o palácio romano do Quirinale, sede da Presidência; o Palácio Chigi, que acolhe o Governo, bem como na fachada do Senado.

Esta é uma iniciativa proposta pela província de Bérgamo, na região da Lombardia (norte), a zona mais afetada pelo coronavírus, e acolhida e promovida em todo o território pela Associação Nacional de Municípios (ANCI).

O seu presidente, Antonio Decaro, explica em comunicado que a intenção é recordar as vítimas da pandemia e honrar o "sacrifício e compromisso" dos trabalhadores de saúde, mostrar "unidade no grave luto que atinge duramente algumas áreas" e solidariedade das cidades e vilas menos afetadas, como as das regiões do sul.

"Apesar da grave emergência que vivemos, não queremos que a tristeza prevaleça mas sim permanecer unidos", afirma Decaro.

Em sinal de solidariedade com Itália, o Estado da Cidade do Vaticano também vai expor as suas bandeiras a meia-haste ao longo do dia para expressar proximidade às vítimas, às suas famílias e aos que estão a combater a pandemia em todo o mundo.