EFELisboa

Os futebolistas mais procurados no mercado durante 2020 foram brasileiros, que representaram 734 milhões de dólares em transferências, enquanto os jogadores espanhóis foram 612 milhões, os alemães 395,2 e os portugueses 393,6 milhões.

Segundo um relatório emitido pela FIFA relativamente ao mercado mundial de futebol, em 2020 houve cerca de 17.000 transferências de jogadores entre diferentes ligas, 2.008 das quais foram brasileiros.

O relatório indica ainda que houve transferências de jogadores de 108 nacionalidades, embora 50% pertencesse a dez países: Brasil, Espanha, Alemanha, Portugal, França, Argentina, Países Baixos, Nigéria, Inglaterra e Bélgica.

O maior mercado internacional de chegada e saída de jogadores fala português, já que em 2020 chegaram a Portugal 274 futebolistas vindos do campeonato brasileiro, enquanto o Brasil recebeu no ano passado 254 futebolistas procedentes do futebol luso.

Destaque ainda para as operações no mercado interno ibérico (na oitava posição), com Portugal a exportar para Espanha um total de 60 profissionais de futebol.

Houve também um grande intercâmbio de jogadores entre os mercados de Espanha e Inglaterra.

A Premier League recebeu 96 futebolistas vindos da LaLiga em 2020, enquanto que em sentido inverso houve 64 transferências para clubes espanhóis.

A Argentina foi novamente outro grande país emissor de futebolistas para os seus países próximos. Foram para o Chile 69 futebolistas oriundos de clubes da Federação da Argentina, enquanto o Uruguai recebeu 63.

INGLATERRA COMPRA EM ESPANHA E PORTUGAL

Os clubes de Espanha, Itália e Portugal foram os que maior volume de receitas por vendas de jogadores receberam durante 2020.

Espanha lidera o ranking com um volume de vendas de 785,7 milhões de dólares, seguido de Itália, com 582, e de Portugal, com um total de 487,9 milhões de dólares em operações de vendas de jogadores.

Neste sentido, Espanha e Portugal encontraram um filão de receitas no mercado britânico.

Em 2020, o mercado de futebol espanhol conseguiu faturar 340 milhões de dólares em vendas de futebolistas à competição inglesa, pelo que foi o primeiro mercado em volume de transferências entre dois países.

Por sua parte, o segundo maior mercado por volume de negócio entre países foi o que se estabeleceu entre lusos e britânicos, já que os jogadores de Portugal transferidos às competições profissionais inglesas em 2020 representaram 261,7 milhões de dólares.

INGLATERRA É A QUE MAIS GASTA

O mercado inglês foi durante 2020 o que mais investiu na aquisição de jogadores, até um total de 1.627 milhões de dólares.

Segue-se o campeonato italiano, com um investimento de 731,5 milhões, e o espanhol, com 607,1 milhões.

Portugal ocupou a sexta posição na compra de futebolistas, até 194,9 milhões, frente aos 126,9 milhões do Brasil, que ocupa a nona posição.

BRASIL E PORTUGAL SÃO OS QUE MAIS COMPRAM

Por número de futebolistas, o Brasil -com 1.015- e Portugal (755) foram as federações que mais jogadores novos receberam em 2020. As competições inglesas receberam 698 e as espanholas, em quarto lugar, receberam 690 profissionais.

No sentido inverso, o ranking é encabeçado por Inglaterra, com um total de 867 futebolistas que deixaram as suas competições profissionais rumo a outras equipas.

Saíram das competições brasileiras 820 futebolistas, enquanto que Portugal foi o terceiro país que mais jogadores exportou, com 753. Espanha foi o terceiro, com 697 transferências.

CHELSEA, UNITED E CITY SÃO OS QUE MAIS INVESTEM

No "top" da lista de clubes da UEFA que mais gastaram em contratações durante 2020 está o Chelsea, seguido do Manchester United e Manchester City.

O Barcelona foi o quarto clube que mais gastou, enquanto que o Benfica, que em 2019 vendeu João Félix por 126 milhões de euros, foi o oitavo clube que mais gastou em 2020.

Na CONMEBOL, a lista do "top ten" é liderada pelo Flamengo, seguido de outros clubes brasileiros como Atlético Mineiro e Palmeiras.

BENFICA, PORTO E BRAGA ENTRE OS QUE MAIS VENDEM

No capítulo de equipas europeias que mais vendas de futebolistas fizeram em 2020, o primeiro é o Manchester City, com um total de 45 transações, seguido do croata Dínamo de Zagreb, com 43, as mesmas que o inglês Watford.

O Benfica, com 40, ocupa a quarta posição em número de transferências, o Mónaco fica em quinto com 38 e Porto e Braga partilham a sexta posição com 37.

Por Carlos García