EFEMadrid

Jornalistas e meios de comunicação da Colômbia, Brasil, Bolívia, Portugal e Espanha foram galardoados esta sexta-feira com os Prémios Internacionais de Jornalismo Rei de Espanha, que reconhecem o trabalho dos repórteres ibero-americanos.

Os prémios, outorgados pela Agência EFE e a Agência espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), galardoaram nesta XXXVII edição trabalhos centrados nos direitos humanos, nas migrações, nos femicídios, na crise climática ou na diversidade sexual.

O boliviano Luis Fernando Soria Sejas (Imprensa), os colombianos Ricardo Calderón Villegas (Jornalismo iberoamericano), Linda Carolay Morais (Rádio) e Manuel Salvador Saldarriaga (Fotografia), o brasileiro Gustavo Marcelo Costa (Televisão) foram alguns dos premiados.

A lista fica completa com os espanhóis Miriam Hernanz (Jornalismo Digital) e César Vallejo de Castro (Cultural e Desenvolvimento Social, uma nova categoria), e a portuguesa Sofia de Palma Rodrigues (Jornalismo Ambiental e Desenvolvimento sustentável).

Além disso, a revista digital 5W ganhou o prémio de Meio de Comunicação destacado da Iberoamérica e a espanhola Mar Abad García obteve o XVI Prémio de Jornalismo Dom Quixote, que reconhece a qualidade linguística e o bom uso e enriquecimento do idioma espanhol.

Esta edição faz ainda uma menção honorífica ao 80º aniversário da Agência EFE, que recaiu no arquivo da própria Agência.

O rei de Espanha vai entregar os galardões aos vencedores das dez categorias numa cerimónia marcada para o próximo dia 23 de março em Madrid.

Candidataram-se a esta edição um total de 206 trabalhos de 17 países num número recorde de dez categorias, e pela primeira vez receberam-se candidaturas da Guiné Equatorial.