EFE

Lisboa/

A empresa de distribuição espanhola Mercadona inaugurou esta terça-feira em Setúbal o seu primeiro supermercado na área metropolitana de Lisboa, elevando o seu número total de lojas em Portugal para 33 desde o começo da sua expansão no país em julho de 2019.

Desde então, todas as lojas abertas pela Mercadona estão localizadas na parte norte do país, em distritos como Porto (18 supermercados), Aveiro (7), Braga (6) e Viana do Castelo (1).

O de Setúbal, a sul de Lisboa, é o terceiro supermercado que a Mercadona inaugura este ano em Portugal, e no próximo dia 15 de julho vai abrir um na cidade do Montijo, também a sul da capital portuguesa, anunciou hoje a empresa.

Até ao final do ano, a Mercadona vai inaugurar mais cinco lojas nas zonas de Santarém, Viseu, Caldas da Rainha, Santa Maria da Feira e Oeiras.

Para impulsionar a sua expansão em Lisboa, a cadeia de supermercados abriu um centro de inovação no passado mês de setembro, com um investimento de 2,2 milhões de euros, localizado no bairro de Alvalade.

A Mercadona conta também com outros dois centros de inovação, para estudar os gostos e hábitos dos portugueses, nas cidades de Matosinhos e Vila do Conde, ambas no norte do país.

A plataforma logística que abastece os seus supermercados no norte do país encontra-se na Póvoa de Varzim, e está prevista a construção de uma segunda plataforma logística para a área lisboeta, no distrito de Santarém, destinada ao armazenamento e distribuição dos seus produtos.

Após a abertura do seu primeiro supermercado em Portugal há três anos, que representou a internacionalização da Mercadona, a empresa já criou 2.500 empregos diretos em Portugal, após um investimento de 500 milhões de euros.

Segundo a Mercadona, a loja inaugurada esta terça-feira em Setúbal "apostou pelas energias renováveis", razão pela qual colocou 430 painéis solares na sua parte superior, resultando numa "poupança anual de 20% em energia elétrica".

No âmbito da sua política de responsabilidade social, tal como nos outros supermercados, o de Setúbal distribuirá bens de primeira necessidade graças a um acordo assinado com a associação de caridade APACCF.