EFEKatmandu

O Governo do Nepal anunciou esta sexta-feira a reabertura para as escaladas do monte Everest, o mais alto do mundo, e de outros 414 picos da cordilheira dos Himalaias, aos quais todos os alpinistas poderão voltar depois de quarto meses fechado de modo a travar a expansão do coronavírus.

"A medida é para impulsionar as atividades turísticas na temporada de outono, que começa em setembro", explicou à Efe a diretora do Departamento de Turismo, Meera Acharya.

Acharya reconheceu, contudo, que ainda estão "no processo de apresentar em breve o guia de procedimentos operacionais padrão para alpinistas, guias de montanha, carregadores e equipas de salvamento.

Têm até 17 de agosto, quando os voos domésticos e internacionais de e para o país asiático estão programados para retomar, pelo que os turistas e os amantes da montanha ainda vão demorar a chegar, embora os hotéis e restaurantes já tenham recebido autorização para abrir a partir desta quinta-feira.

A indústria relacionada com o turismo de montanha registou receitas de 240,700 milhões de rupias nepalesas (cerca de 2.000 milhões de dólares) para o país em 2018, cerca de 8% do PIB do país, graças à chegada de 1,2 milhões de turistas, um terço dos quais visitou o país na época do outono, de acordo com o último relatório anual apresentado pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo.

Como tal, o setor aplaude a medida, mas espera que "o Governo clarifique os documentos que serão exigidos aos turistas para entrar no Nepal, a fim de informar os clientes", disse à Efe o diretor da Seven Summit Treks, um dos maiores operadores turísticos do país, Mingma Sherpa.

"Estamos à espera da decisão do governo sobre se os turistas estrangeiros que viajam para o Nepal precisarão de certificados de um teste PCR para entrar no país ou se terão de passar certos dias em quarentena", acrescentou.

A este respeito, "o Governo decidirá em breve", disse o secretário adjunto do Ministério do Turismo, Buddhi Sagar Lamichhane, que reconheceu que estes detalhes ainda estão a ser discutidos.

Apesar desta incerteza, Sherpa celebrou que a sua empresa já tem pelo menos uma centena de reservas de alpinistas para o Monte Manaslu, um dos "oito mil" (8.163 metros), para a época de outono. "Estamos também a ser consultados sobre expedições ao Monte Evereste", indicou.

A reabertura ao turismo coincide com um aumento significativo de casos confirmados de coronavírus no país, que acumula 19.547 pacientes positivos e 52 mortes, embora 14.248 já tenham recuperado, de acordo com o Ministério da Saúde.

O aumento de casos ultrapassou os 1.000 na última semana, depois de o país ter deixado para trás o confinamento imposto a 20 de março.