EFEGenebra

A variante B.1.617 do coronavírus, que foi identificada pela primeira vez na Índia em outubro do ano passado, tornou-se na quarta a ser classificada como "preocupante" pela Organização Mundial da Saúde (OMS), segundo informou a própria agência esta quarta-feira.

Esta decisão foi tomada em consulta com um grupo de trabalho que acompanhou a evolução do vírus a partir da análise de mais de 4.500 sequências genéticas de 44 países onde esta variante foi detectada.

Esta é a quarta variante classificada como preocupante pela OMS. As outras são a B.1.351, descoberta em maio de 2020 na África do Sul; a B.1.1.7, inicialmente identificada em setembro no Reino Unido, e a P.1., encontrada em novembro no Brasil.

No seu relatório epidemiológico semanal, publicado esta quarta-feira, a OMS explica que a última variante a se juntar ao grupo dos que mais preocupam a agência contém três linhagens.

Os cientistas observaram que estas linhagens parecem ter uma taxa de transmissão mais elevada, o que corresponderá à sua rápida prevalência em vários países.

A OMS afirma ainda no seu relatório que existem provas preliminares que sugerem que esta variante pode reduzir a eficácia do tratamento com anticorpos monoclonais e "reduzir ligeiramente a suscetibilidade à neutralização de anticorpos", que são gerados através da vacinação.

Alguns especialistas suspeitam que o forte e rápido aumento de casos na Índia poderá dever-se à circulação desta variante, mas uma recente avaliação da situação pela OMS indica que existem múltiplas causas.

Uma delas poderá ser o aumento de casos variantes, o que pode potencialmente aumentar a transmissão do vírus, mas os eventos religiosos e políticos de massas e o aumento do contato social em geral também desempenharam um papel importante.

A Índia registou o maior aumento de casos de covid-19 na última semana, com 2,7 milhões de novas infeções, uma subida de 5%.

Imediatamente atrás estão o Brasil, com 423.000 novos casos, e os Estados Unidos, com 334.000, ambos com um aumento de 3% em relação à semana anterior.