EFEGinebra

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que é muito improvável que algum país ou comunidade consiga em breve o alto nível de imunidade de grupo requerido para controlar a transmissão da covid-19, nem sequer os que passaram por graves surtos e onde o coronavírus circulou de forma intensa.

"Os estúdios indicam que é necessário que mais de 80% de uma comunidade esteja imunizada para interromper a transmissão, mas a informação fornecida pelos dados serológicos em todo o mundo revela que nenhum país adquiriu este nível de imunidade natural", disse o diretor de emergências sanitárias da OMS, Mike Ryan, ao informar sobre a evolução da pandemia na assembleia anual da Organização.

"Uma parte substancial da população mundial continua a ser suscetível à infeção", assegurou esta terça o especialista que coordena a luta internacional contra a pandemia desde a OMS.

Ryan afirmou que, dada a situação epidemiológica e os problemas para estender a vacinação a todos, é essencial manter medidas de prevenção, incluindo o distanciamento físico, a utilização de máscaras e uma boa ventilação, mas também a "perseguição" ao vírus através de testes e rastreio de contatos.

"Ter relaxado as medidas prematuramente contribuiu para os surtos que vimos em 2020 e no primeiro trimestre deste ano", disse, observando que permitir que o vírus continue a circular descontroladamente aumenta o risco do surgimento de variantes mais perigosas.

Por isso, a OMS considera que a situação global permanece "frágil e volátil", para além de destacar que existe uma subnotificação de casos de covid-19 e das mortes relacionadas com a doença em muitas partes do mundo.

Os dados recolhidos pelos países sugerem que 40% das pessoas sintomáticas experimentam uma forma leve da doença, enquanto outros 40% uma forma moderada, mas os 20% restantes sofrem de infeções graves a críticas.

Destes últimos, 16% não sobrevivem atualmente, o que representa uma melhoria na luta contra a doença, uma vez que no início da pandemia a mortalidade entre os doentes graves chegava a 40%.