EFEGenebra

O diretor de emergências sanitárias da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mike Ryan, afirmou esta segunda-feira que é cedo para fazer uma previsão sobre quando o coronavírus estará erradicado do planeta, mas espera que no próximo ano já tenha deixado de causar mortes.

"Seria prematuro e irrealista acreditar que acabaremos com o vírus até ao final deste ano, mas podemos acabar com os internamentos e mortes, acabar com a tragédia associada à pandemia", disse Ryan em conferência de imprensa. "O principal objetivo agora é manter a transmissão do vírus tão baixa quanto possível", completou.

Ryan também afirmou que alguns dados preliminares mostram que as vacinas já estão a começar a ter um impacto na redução da transmissão do vírus SARS-CoV-2 em alguns países, o que vê como "muito animador".

"Se as vacinas começarem a ter impacto, não apenas nas mortes e nos internamentos mas também na dinâmica de transmissão, então acho que vamos acelerar o controlo da pandemia", comentou o funcionário da OMS, que, no entanto, admitiu: "Neste momento, é o vírus que tem esse controlo".

Ryan advertiu que a boa notícia sobre as vacinas, no entanto, é acompanhada por novos números de casos diários globais em ascensão. "Ainda enfrentamos um forte desafio", resumiu.