EFEGenebra

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu hoje uma moratória global à terceira dose das vacinas contra a covid-19, após a decisão de Israel e da Alemanha de oferecer uma dose de reforço para a sua população idosa, enquanto o Reino Unido planeia fazer o mesmo a partir de setembro, algo também contemplado por outras nações ricas.

"Entendemos a preocupação dos governos em proteger suas populações da variante delta, mas não podemos aceitar que os países que já usaram a maioria do fornecimento de vacinas o usem ainda mais, enquanto as populações mais vulneráveis ​​do mundo continuam sem proteção", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Das 4.000 milhões administradas globalmente, mais de 80% foram em países de rendimentos altos e médios, que representam em conjunto menos de metade da população mundial, indicou o diretor-geral da entidade para ilustrar a desigualdade no acesso a uma das intervenções vitais para travar a pandemia.