EFENova Iorque

Um jogo para smartphones é a nova aposta da ONU para saber as opiniões das pessoas sobre como agir perante a crise climática.

O "Mission 1.5", apresentado esta quinta-feira em Nova Iorque, coloca os jogadores na pele de um político que deve decidir que medidas adotar para manter o aquecimento global abaixo de 1,5 graus Celsius.

O jogo pretende, simultaneamente, consciencializar a população sobre o perigo da crise climática e recolher informações sobre as possíveis políticas para a combater.

De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), responsável pela iniciativa, o objetivo é desenvolver a maior investigação a nível global sobre a ação climática.

Além de tomarem as próprias decisões no jogo, os utilizadores poderão votar sobre quais consideram ser as medidas mais urgentes. Os dados serão analisados pela Universidade de Oxford, enquanto o PNUD vai-se encarregar de os transmitir a governos do mundo todo para que levem em conta essas informações ao formularem políticas.

O jogo está inicialmente disponível em seis idiomas (espanhol, inglês, árabe, mandarim, francês e russo) e, segundo o PNUD, tem um alcance potencial de 4,4 mil milhões de pessoas. Versões em outros idiomas devem ser disponibilizadas nas próximas semanas.

A versão beta do jogo foi testada em setembro do ano passado no Reino Unido, onde em quatro semanas quase 1,25 mil milhão de utilizadores votaram sobre quais as ações climáticas que tomariam.

"Com esta campanha, temos a capacidade de ligar milhões de pessoas e governos numa inovadora conversa bidirecional sobre soluções para a crise climática", comentou o chefe do PNUD, Achim Steiner.

Segundo Steiner, o projeto vai permitir "aumentar a ambição" para a próxima Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas (COP26), que será realizada no final deste ano em Glasgow, na Escócia.