EFEEstrasburgo (França)

O Parlamento Europeu vai atribuir esta quarta-feira o Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento do ano 2021 ao líder opositor russo e ativista anticorrupção Alexei Navalny, um dos grandes adversários políticos de Vladimir Putin e que se encontra na prisão desde o passado mês de fevereiro.

Os líderes dos grupos parlamentares europeus apoiaram maioritariamente esta candidatura em detrimento da outra favorita, a de um grupo de mulheres afegãs em defesa dos direitos humanos e da igualdade, e a da ex-presidente interina da Bolívia Jeanine Áñez, avançaram à Agência EFE fontes parlamentares.

Navalni foi condenado em fevereiro a dois anos e meio de prisão por não ter cumprido os termos da sua liberdade condicional enquanto recuperava na Alemanha depois de ter sido envenenado com um agente químico do tipo Novichok, que, segundo ele, foi ordenado diretamente pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Detido numa prisão na região de Vladimir, a cerca de 200 quilómetros de Moscovo, Navalny queixou-se repetidamente de não lhe terem sido prestados cuidados médicos adequados e entrou em greve da fome em abril passado durante 23 dias em protesto contra esta situação.

O conhecido blogger e opositor ao regime de Putin ganhou reconhecimento internacional anos atrás ao candidatar-se às eleições no seu país e ao promover reformas anticorrupção.

De facto, já tinha recebido uma nomeação para o Prémio Sakharov em 2019, depois de ter sido detido nesse ano sob a acusação de ter convocado uma manifestação ilegal para protestar contra a recusa das autoridades russas em inscrever candidatos não oficiais nas eleições locais.