EFEBruxelas

O Conselho da União Europeia, que representa os Estados-membros na tomada de decisões na UE, adotou esta quarta-feira uma posição sobre a proposta de criar um único carregador universal de tipo USB-C para que se harmonize o seu uso em telemóveis, tablets, câmaras e consolas de jogos.

O texto definitivo terá agora que ser negociado com o Parlamento Europeu e com a Comissão, que lançou a iniciativa legislativa no passado setembro.

Bruxelas promove esta medida desde 2009, e um acordo voluntário com os principais fabricantes de dispositivos móveis permitiu nesse ano reduzir de 30 a 3 os carregadores disponíveis no mercado, o USB 2.0 Micro B, o USB-C e o Lightning, exclusivo da Apple.

Esse pacto, no entanto, expirou em 2014, e desde então não se conseguiu o objetivo de ter um único carregador universal.

Para além de simplificar a vida dos consumidores, a Comissão defende que os dispositivos devem ser vendidos com ou sem carregadores universais, o que reduziria os resíduos eletrónicos associados à produção, transporte e eliminação dos carregadores, como o Conselho também reconhece.

Os 27, na sua posição para a negociação final, que uma vez aprovada terá um período de transição de dois anos, mantêm a substância da proposta da Comissão e acrescentam dois anexos, um que pede que os aparelhos exibam um pictograma obrigatório a indicar se são vendidos com ou sem um carregador e outro com certas especificações técnicas.

O Parlamento Europeu, por sua parte, ainda não aprovou o seu mandato de negociação.