EFELisboa

A Liga portuguesa, que terminou esta quarta com o Sporting campeão, teve entre os grandes protagonistas Pote, o melhor marcador da competição, os seus colegas nos "leões" Adán e Porro, ou Mario González, do Tondela.

A última jornada foi marcada por uma dura luta pelo título de melhor marcador da Liga.

O suíço Haris Seferovic, do Benfica, conseguiu bisar contra o Vitória de Guimarães e fazer 22 golos, colocando pressão máxima sobre o médio do Sporting, Pedro Gonçalves, mais conhecido como "Pote", que precisava de um "hat-trick" contra o Marítimo caso quisesse o troféu. E assim o fez.

ADÁN E PORRO, EXPERIÊNCIA E GARRA NO SPORTING

A época de 2020-2021 foi o reencontro do espanhol Pedro Porro com o seu melhor futebol, depois de uma passagem despercebida pelo Real Valladolid na última época.

Porro, emprestado pelo Manchester City, chegou a Lisboa para ter alguns minutos, tornando-se logo imprescindível para o onze de Rúben Amorim, chegando inclusivamente a ser chamado para a seleção A espanhola pela primeira vez.

O guarda-redes Antonio Adán, compatriota de Porro, também se deu bem por Lisboa, a onde chegou vindo do Atlético de Madrid. O novo guardião verde e branco consegue acabar a época com a melhor média de golos sofridos das principais ligas europeias.

Sofreu 19 golos nos 32 jogos que disputou, com uma média de 0,59 por encontro. É o melhor guarda-redes das ligas "top ten" europeias.

TAREMI E TONI MARTÍNEZ, HOMENS DO GOLO NO PORTO

Depois de ter sido o melhor marcador do campeonato no ano passado, com 19 golos ao serviço do Rio Ave, o iraniano Taremi assinou esta temporada 15 golos com o Porto, apesar de não ter o estatuto de titular no primeiro terço do campeonato.

Mas rapidamente se tornou numa referência no ataque, tanto na Liga como na Champions, onde deslumbrou o mundo com um espetacular golo de pontapé de bicicleta ao Chelsea nos quartos de final.

Por sua parte, o espanhol Toni Martínez, que chegou esta época ao Dragão vindo do Famalicão, converteu-se num dos jogadores mais eficazes frente à baliza em Portugal, apesar dos seus poucos minutos.

Sete golos na Liga com uma média de um golo a cada 95 minutos, que o deixam numa boa posição para a próxima época nos "dragões".

DARWIN E SEFEROVIC, REFERÊNCIAS DO BENFICA

O jovem uruguaio Darwin Núñez não conseguiu demonstrar no Benfica todo o potencial futebolístico que mostrou na época anterior ao serviço do Almería, acabando a época com apenas 6 golos no campeonato e 14 em todas as competições.

Os encarnados, que terminaram em terceiro, não tiveram o seu melhor ano, e apenas se salva o suíço Seferovic, com uma excelente segunda volta, terminando como o segundo melhor marcador da Liga portuguesa, com 22 golos.

MARIO GONZÁLEZ E O MILAGRE ESPANHOL DO TONDELA

O Tondela, presidido pelo ex-futebolista espanhol David Belenguer, encontrou esta temporada a salvação nas botas do também espanhol Mario González, emprestado pelo Villarreal.

O avançado foi o terceiro melhor marcador da Liga, com 15 golos, e estará em breve de regresso à equipa de Unai Emery, muito pendente da sua evolução.

O Tondela, treinado por outro espanhol, Pako Ayestarán, assinou um bom ano, e apesar de ser o clube com o menor orçamento, conseguiu a permanência três jornadas antes do fim.

JULIO VELÁZQUEZ, SALVADOR

O treinador espanhol Julio Velázquez foi também outro dos protagonistas da Liga.

Chegou na reta final do campeonato e assumiu o desafio de assumir as rédeas de um Marítimo em último, conseguindo salvar a equipa madeirense da despromoção, algo que Farense e a outra equipa do Funchal, o Nacional, não evitaram.

Falta agora saber o que irá acontecer com o play-off de despromoção que será disputado entre o antepenúltimo, o Rio Ave, contra o terceiro da segunda liga, ainda por definir.

O vencedor irá jogar na máxima competição portuguesa na próxima época.

Por Carlos García