EFEBruxelas

O ex-presidente do Governo da Catalunha Carles Puigdemont, foragido na Bélgica desde 2017 e pretendido por Espanha por supostos crimes de sedição e desvio na causa do "procés", apresentou-se voluntariamente às autoridades belgas e rejeitou a sua entrega, informou esta sexta-feira.

Puigdemont, "acompanhado dos seus advogados, compareceu voluntariamente às autoridades belgas" no âmbito da ordem europeia de detenção e entrega realizada pelo Supremo Tribunal espanhol, indicou em comunicado.

A nota precisou que "está a seguir todos os passos oficiais que acompanham este procedimento".

"Recebeu a notificação e opôs-se a sua entrega a Espanha", conclui.

A Procuradoria de Bruxelas encontra-se à espera que a Justiça espanhola entregue na próxima semana uma tradução do mandato europeu de detenção e os documentos anexos, reativada na segunda-feira passada pelo juiz do Supremo Tribunal espanhol Pablo Llarena, após conhecer-se a sentença a penas de até 13 anos de prisão aos políticos do "procés".

A Procuradoria vai agora proceder a uma "análise em profundidade" da mesma, assinalou o Ministério Público belga em comunicado a propósito da terceira Ordem de Detenção Europeia (ODE) contra o ex-presidente da Generalitat.