EFELondres

O Reino Unido decidiu apertar as restrições nas viagens para tentar limitar a importação da nova variante ómicron de coronavírus, embora alguns especialistas alertem que as limitações chegam "tarde demais", quando a transmissão comunitária já foi iniciada no país.

"É como fechar a porta do estábulo quando o cavalo enlouquece", disse à BBC o epidemiologista Mark Woolhouse, membro do grupo de assessoria do governo em pandemias, que considerou que as novas barreiras não vão fazer "uma diferença substancial na evolução de uma vaga omicron, se houver uma".

A partir de terça-feira, os viajantes que chegarem ao Reino Unido vão ter de passar um teste covid-19 antes do voo, medida que o governo tinha retirado em outubro, e outro teste PCR dois dias após a chegada.

O executivo também vai adicionar a Nigéria à lista vermelha, que já inclui a África do Sul e outros países vizinhos. Apenas cidadãos britânicos e irlandeses e pessoas com autorização de residência vão poder entrar no país a partir desses destinos, que devem manter uma quarentena de dez dias num hotel na chegada.