EFEMoscovo

O risco de colisão com lixo espacial obrigou a corrigir de maneira urgente a órbita da Estação Espacial Internacional (EEI), informou esta quarta-feira a Roscosmos, a agência especial da Rússia.

"Na tarde de 22 de setembro o Centro de Controlo de Voos russo recebeu informação de que a Estação Espacial Internacional entrava na chamada 'zona vermelha'. Ou seja, havia perido de uma colisão da estação com lixo espacial", assinalou a Roscosmos em comunicado.

Após analisar a situação, acrescentou a agência espacial russa, o grupo que controla o voo da EEI "decidiu que era necessário realizar com urgência uma manobra elusiva".

A manobra foi efetuada às 21h19 GMT desta terça-feira com ajuda dos propulsores do cargueiro russo Progress MS-14, que se encontra acoplado com a plataforma orbital.

Os motores do Progress foram ligados por um espaço de 150 segundos, o que conferiu à EEI uma aceleração de 0,3 metros por segundo e lhe permitiu evitar o perigo de colisão.

A plataforma orbital conta atualmente com três tripulantes: os cosmonautas russos Anatoli Ivanishin e Ivan Vagner, e o astronauta americano Christopher Cassidy.

A EEI, um projeto de mais de 150.000 milhões de dólares no qual participam 14 nações, está integrada por 14 módulos permanentes e orbita a uma velocidade de mais de 27.000 quilómetros por hora a uma distância de 400 quilómetros da Terra.

A órbita da plataforma é elevada periodicamente com a ajuda dos propulsores das naves acopladas, já que perde diariamente entre 100 e 150 metros de altura devido à gravitação terrestre, a atividade solar e outros fatores.