EFEWashington

O senador Bernie Sanders anunciou esta segunda-feira que apoia a candidatura de Joe Biden nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, poucos dias depois de se retirar da corrida pela nomeação do Partido Democrata.

"Precisamos de si na Casa Branca. Farei tudo para isso acontecer", disse o político, que se define como socialista democrata, numa transmissão de vídeo feita através das redes sociais, que também contou com a participação do vice-presidente por dois mandatos na gestão de Barack Obama.

"Hoje peço a todos os americanos, peço a todos os democratas, aos independentes, peço a muitos republicanos, que se unam para apoiar a sua candidatura, que eu apoio, para garantirmos a derrota de alguém que creio, e agora estou a falar por mim, que seja o presidente mais perigoso da história moderna do país", completou Sanders.

O senador pelo estado de Vermont anunciou na última quarta-feira, um dia após as primárias de Wiscosin, que ia deixar a corrida pela nomeação do Partido Democrata, deixando o caminho livre para Biden, que não terá oposição na convenção do partido.

No encontro por vídeo, Biden agradeceu a Sanders pelo apoio e garantiu que não há só discordância entre os dois políticos, que protagonizaram debates intensos ao longo dos últimos meses.

"Acredito que o seu apoio signifique algo muito importante. Significa muito para mim, e acho que as pessoas vão-se surpreender por estarmos distantes em alguns assuntos, mas do quanto estamos extremamente próximos em outros", afirmou o ex-vice-presidente.

Biden ainda garantiu que conta com o apoio de Sanders durante a campanha, mas também para governar o país, caso vença as eleições, inicialmente programadas para acontecerem em novembro deste ano.

Na corrida presidencial de 2016, quando também foi pré-candidato, Sanders foi acusado de não ter trabalhado pela candidatura de Hillary Clinton, que acabou por ser derrotada posteriormente por Donald Trump, que assim obteve o primeiro mandato.