EFESeul

A Coreia do Sul propôs hoje à Coreia do Norte a realização de conversas de alto nível na próxima semana pela sua participação nos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang 2018.

O ministro de Unificação da Coreia do Sul, Cho Myoung-gyon, propôs que as duas Coreias se reúnam na próxima terça-feira, dia 9, na aldeia da trégua de Panmunjon, dentro da Zona Desmilitarizada, lugar habitual deste tipo de encontros.

A proposta acontece depois do líder norte-coreano, Kim Jong-un, ter afirmado na véspera no seu discurso de Ano Novo que está aberto ao dialogo com o Sul para que o seu país envie uma delegação para os Jogos de Inverno que serão realizados em território sul-coreano entre os dias 9 e 25 de fevereiro.

"Esperamos que a Coreia do Sul e a Coreia do Norte se sentem para falar da participação de Pyongyang nos Jogos e em formas de melhorar as relações entre os países de uma maneira franca", disse Cho em declarações divulgadas pela agência de notícias sul-coreana "Yonhap".

Caso Pyongyang aceite a proposta e aconteça a reunião na próxima semana, este seria o primeiro contato deste tipo entre as duas Coreias em mais de dois anos.

Os canais de comunicação habituais entre os dois países não estão a operar desde fevereiro de 2016, quando a Coreia do Norte cancelou-os em protesto pela decisão de Seul de fechar o complexo industrial intercoreano de Kaesong.

Neste sentido, o ministro de Unificação disse que a reunião significaria a "restauração imediata" destes canais de comunicação e que agora as duas Coreias devem negociar a agenda do encontro, assim como a composição das delegações.

Os patinadores artísticos Ryom Tae-ok e Kim Ju-ik são os dois únicos atletas norte-coreanos classificados para os Jogos de PyeongChang, que se realiza no condado sul-coreano situado a cerca de 70 quilómetros ao sul da fronteira entre as Coreias.