EFELos Angeles (EUA)

Taylor Swift bateu esta segunda-feira duas marcas histórias nas listas de sucessos dos EUA com o seu recente álbum "Folkore": É a primeira artista que se estreia em simultâneo no número um de álbuns e singles, e é também a artista com mais temas na lista de êxitos ao longo da sua carreira.

Billboard, a entidade que há 62 anos mede o rendimento da indústria musical nos Estados Unidos, confirmou ainda que o trabalho que Swift lançou por surpresa na semana passada é já o álbum mais vendido em todo 2020, com 846.000 cópias só no país norte-americano.

Em todo o mundo, "Folklore" terá vendido mais de 2 milhões de cópias, segundo a editora de Swift, a Republic Records.

Com essas vendas, e em apenas uma semana de existência, o álbum colocou-se no topo da lista Billboard 200, que mede os discos mais vendidos no país.

Ao mesmo tempo, o primeiro single de "Folklore", "Cardigan", estreou-se no número um do ranking Billboard Hot 100, dedicado às canções mais ouvidas, algo que converte a Taylor Swift na primeira artista a estrar-se no mais alto de ambas listas na mesma semana.

Além disso, ainda na Billboard Hot 100, a cantora bateu outra marca histórica: Torna-se na artista feminina com o maior número de temas próprios nessa lista, um total de 113 composições ao longo da sua carreira.

Com essas 113 canções, Swift fica à frente de Nicki Minaj (100), Aretha Franklin (73), Beyoncé (65), Rihanna (62) e Madonna (57).

O oitavo álbum de Swift, um trabalho muito mais intimista e alternativo que os seus anteriores, foi anunciado apenas 15 horas antes do seu lançamento, e conseguiu unir o êxito comercial e o crítico.

Publicações como a Rolling Stone, The Guardian e NME deram a "Folklore" notas de 5 e 4,5 estrelas (sobre cinco), e a revista independente Pitchfork considerou-o merecedor de 8 sobre 10.

Segundo a cantora, o álbum é o resultado de três meses de trabalho "em isolamento", durante a crise do coronavírus", no qual ela própria escreveu e gravou os 16 temas, contando com colaboradores como Aaron Dessner, Jack Antonoff, William Bowery e Bon Iver, com quem canta "exile".