EFEGenebra

O telescópio espacial Cheops, fabricado em Espanha e com o qual a Agência Espacial Europeia (ESA) vai impulsionar a exploração de planetas situados fora do Sistema Solar, será lançado no próximo 17 de dezembro na Guiana Francesa, anunciou hoje a Universidade de Berna, principal desenvolvedor do aparelho.

Propulsado por foguetões russos Soyuz-Fregat, o satélite, que contou com a participação de cientistas de mais de 30 instituições, irá partir da base de lançamento de Kourou, se as condições meteorológicas se mantêm segundo o previsto.

A missão Cheops (siglas em inglês de Satélite Caracterizador de Exoplanetas) vai medir as variações lumínicas das estrelas para procurar novos planetas longínquos, já que em algumas ocasiões essas mudanças de luminosidade devem-se à passagem destes na trajetória visual de um telescópio.

Construído pela Airbus Defence and Space, o satélite é o primeiro da ESA fabricado maioritariamente em Espanha (mais de 50% dos seus componentes foram desenvolvidos em território espanhol) e a sua órbita será controlada desde as instalações do Instituto Nacional de Técnica Aeroespacial (INTA), nos subúrbios de Madrid.

Está desenhado para operar durante cerca de três anos e vai-se focar especialmente no estudo do tamanho, atmosfera e outras variáveis de uns 300 dos 4.000 exoplanetas já conhecidos, aqueles de tamanho mais pequeno e como tal mais complexos de estudar, com massas situadas entre a da Terra e a de Neptuno.

O Cheops é o primeiro satélite do programa da ESA para o estudo de exoplanetas, que continuará com o lançamento de outras duas sondas, Plato e Ariel, no final da próxima década.