EFEWashington

O presidente dos EUA, Donald Trump, assegurou esta terça-feira que não vai permitir que o Twitter interfira com a "sua liberdade de expressão" ao verificar o conteúdo das suas mensagens, algo que a rede social começou a fazer.

"O Twitter está a interferir nas eleições presidenciais de 2020. Dizem que a minha afirmação sobre a votação por correspondência, que vai provocar corrupção e fraude massivas, é incorreta, baseando-se em verificações de notícias falsas", disse Trump, precisamente no Twitter.

"O Twitter -acrescentou- está a reprimir completamente a minha liberdade de expressão, e eu, como presidente, não o permitirei".

O Twitter interligou pela primeira vez esta terça-feira uma mensagem de Trump com informações verificadas que contradizem o que o presidente tinha publicado, um procedimento habitual na rede social mas que até agora ainda não tinha sido aplicado ao presidente.

O alerta do Twitter acontece depois de Trump ter partilhado uma mensagem afirmando que a votação por correio nas eleições presidenciais de novembro nos EUA teria inevitavelmente consequências fraudulentas e conduziria a eleições manipuladas.

O presidente americano reagia assim à decisão do governador da Califórnia, o democrata Gavin Newsom, de enviar boletins de voto por correio a todos os eleitores registados no Estado como uma medida excecional face à situação da pandemia da COVID-19.

"Aceda aqui aos os dados sobre voto por correio", foi a mensagem que, em azul e precedida por um ponto de exclamação, o Twitter colocou em baixo dos tweets de Trump.

Ao clicar no alerta, a rede social redireciona o utilizador para outra página dentro da plataforma onde aparece em letras destacadas em negrito: "Trump assegura sem provas que o voto por correio vai derivar em fraude eleitoral", citando meios de comunicação como a CNN e o Washington Post.

O Twitter é a rede social mais utilizada pela Trump, através da qual comunica diretamente com os seus simpatizantes sem passar pelo filtro tradicional dos meios de comunicação, e onde acumula mais de oitenta milhões de seguidores.