EFESan Francisco

A rede social Twitter anunciou que a partir desta terça-feira está habilitada para todos os utilizadores a opção de escolher quem pode responder às suas mensagens, uma medida que poderá mudar a natureza das conversas na plataforma se o seu uso for estendido.

De agora em diante, antes que uma pessoa faça uma publicação, serão oferecidos três grupos que poderão responder ao tweet: todos os utilizadores, como até agora; apenas aqueles que o utilizador segue; ou os que apenas foram mencionados diretamente.

Se um utilizador não tiver permissão para responder a um tweet, essa opção irá aparecer bloqueada e em cinzento, embora possa ver essa mensagem, fazer retweet ou colocar um gosto.

Segundo a diretora de gestão de produtos do Twitter, Suzanne Xie, o objetivo é que as pessoas se sintam confortáveis na rede social e possam ter conversas significativas que, segundo ela, antes não eram possíveis.

A medida é relevante porque afeta totalmente a natureza do Twitter, um fórum onde até agora todos podiam dar a sua opinião pública sobre o que os outros estavam a dizer, algo que a empresa garantiu que ainda será possível se a mensagem em questão for retweetada e um comentário for adicionado.

Um dos aspectos que a nova opção oferecida pelo Twitter pode levantar mais questões é que afeta todos os utilizadores, incluindo figuras públicas e autoridades políticas, que agora também poderão decidir quem responde às suas mensagens.

Nesta terça-feira, o principal concorrente do Twitter, a Facebook, anunciou que entre abril e junho eliminou mais do dobro do conteúdo de ódio que no trimestre anterior, coincidindo com o início do boicote publicitário contra a empresa instigado precisamente por essa questão.