EFECOMMadrid

O Banco de Espanha alertou que a concentração da população em Espanha é muito elevada na perspetiva europeia e identificou 3.403 municípios (42% do total) em risco de despovoamento, uma taxa muito superior à do conjunto da Zona Euro.

No seu relatório anual publicado esta quinta-feira, a entidade faz pela primeira vez uma análise da distribuição espacial da população e das suas implicações económicas, concluindo que Espanha tem uma percentagem "anormalmente elevada" de território desabitado.

Apenas 13% das células de 1 quilómetro quadrado do território estão povoadas, uma anomalia que não se deve a fatores geoclimáticos, como noutras partes da Europa.

O salário é o fator determinante nesta situação, especialmente para os trabalhadores mais qualificados.

De acordo com o relatório, as províncias com maior incidência de municípios em risco de despovoamento são aquelas em que a capital de província é mais pequena, enquanto os municípios rurais perto de grandes centros urbanos mostram um maior dinamismo.

Residir em cidades maiores está associado a níveis mais elevados de salários e oportunidades profissionais, bem como a uma maior oferta tanto de serviços públicos como privados.

Contudo, também implica desvantagens, tais como preços mais elevados das casas, níveis mais elevados de exposição à poluição e tempos mais longos de deslocação.

O Banco de Espanha sugere políticas que garantam um certo nível de serviços disponíveis para os habitantes dos municípios rurais, bem como políticas que ajudem a inverter o despovoamento dos municípios com potencial de crescimento.