EFEMadrid

A atividade na Zona Euro está a atenuar o seu crescimento económico em maio devido a uma falta de expansão da procura, segundo o avanço publicado esta quinta-feira pela Markit.

O flash do índice PMI de atividade total da Zona Euro fica em maio em 51,6 pontos, com um aumento muito moderado a respeito dos 51,5 de abril, o que representa que o crescimento económico do segundo trimestre se vai manter no mesmo nível "pouco satisfatório" que no primeiro, sendo um dos mais baixos desde meados de 2013.

Segundo o estudo elaborado pela Markit, os novos pedidos para exportações voltam a cair intensamente, descendo pelo oitavo mês consecutivo, enquanto o emprego regista o seu menor aumento desde 2016.

O otimismo relativamente à atividade futura está em mínimos dos últimos quatros anos e meio, enquanto as pressões inflacionárias moderam-se devido às limitações que a concorrência impôs na fixação de preços dos vendedores.

As expectativas de crescimento caem ao nível mais baixo desde outubro de 2014, enquanto a inflação dos preços de compra se mantém mais elevada no setor serviços, principalmente em resposta ao aumento dos custos salariais.

Por sua parte, Alemanha e França registaram melhorias no seu crescimento, em grande parte devido a uma expansão sustentada do setor serviços.

No resto da Zona Euro, a atividade empresarial regista a sua mínima desde novembro de 2013, devido a uma redução das vendas, a incerteza geopolítica, as crescentes guerras comerciais e os problemas do setor automóvel.