EFEMadrid

A atividade da Zona Euro continuou em baixa em fevereiro, o seu quarto mês consecutivo em negativo, devido ao colapso do setor serviços com as novas restrições derivadas da pandemia, segundo a consultora Markit.

O relatório Flash PMI de fevereiro publicado esta sexta-feira coloca o índice em 48,1 pontos, ligeiramente acima dos 47,8 pontos de janeiro mas ainda abaixo dos 50 que separam o crescimento da contração.

Apesar desta caída, que "aponta a um novo deterioramento da economia" devido às medidas para travar a pandemia, a Markit assinala que o índice mantêm-se em níveis muito mais altos dos que registava ao início da pandemia.

Em qualquer caso, a deterioração da atividade presente no relatório provém do setor serviços, que sofreu o maior desabe desde novembro, já que a produção industrial registou o maior aumento desde outubro, sobretudo na Alemanha.

Fevereiro teve um aumento dos prazos de entrega dos fornecedores devido à escassez de provisões, assim como um aumento "intenso" dos preços destes, ao maior ritmo desde abril de 2011, que por sua vez repercutiu nos preços cobrados pela indústria.

A caída dos pedidos pendentes afetou de novo o emprego, que experimentou o seu décimo segundo mês de redução devido à debilidade do setor serviços, já que a indústria começou com um "modesto" aumento de trabalhadores.

Face ao futuro, as expectativas empresariais aumentaram até ao seu nível máximo desde março de 2018, devido principalmente à esperança na campanha de vacinação.