EFEMadrid

A atividade comercial da Zona Euro contraiu-se em outubro, arrastada pelos serviços em pleno agravamento da pandemia de coronavírus, pondo fim a três meses consecutivos de crescimento.

O índice PMI composto da atividade total na Zona Euro publicado esta sexta-feira pela empresa de consultoria Markit foi de 49,4 pontos em outubro, ficando abaixo do limiar de 50 pontos que separa o crescimento do declínio.

Embora o índice esteja apenas um ponto abaixo do estabelecido em setembro e longe dos mínimos registados no pior momento da pandemia, a consultora adverte que esta tendência "levanta a possibilidade de que a economia da região possa voltar a contrair no quarto trimestre".

A atividade empresarial viu-se prejudicada pelo fraco desempenho dos serviços, que caiu pelo segundo mês consecutivo devido à "preocupação" com a pandemia e não pôde ser compensada pela aceleração da produção industrial, que registou os seus melhores dados desde fevereiro de 2018.

O emprego sofreu cortes pelo oitavo mês consecutivo, embora a um ritmo mais moderado do que no pior momento da pandemia, devido ao excesso de capacidade das empresas perante a redução dos pedidos pendentes, que coincidiu com uma nova descida dos preços médios cobrados.

Olhando para o futuro, as expectativas de atividade nos próximos doze meses caíram para o seu nível mais baixo desde maio, tanto no setor transformador como, especialmente, no dos serviços.

A atividade alemã registou um novo crescimento em outubro, ligeiramente desacelerada pelos serviços, mas França registou uma deterioração na sua atividade pelo segundo mês consecutivo.