EFEFrankfurt (Alemanha)

O Conselho do Banco Central Europeu (BCE) "dá as boas-vindas às medidas tomadas por vários governos para assegurar recursos suficientes para o sector da saúde e para prestar apoio às empresas e trabalhadores afetados".

No seu boletim económico, publicado esta quinta-feira, o BCE acrescenta que medidas como as garantias de crédito são necessárias para complementar e reforçar as medidas de política monetária aprovadas pelo seu Conselho.

O BCE considera que "a pandemia de coronavírus representa uma emergência de saúde pública coletiva com poucos precedentes na história".

"É também um choque económico extremo que requer uma reação política ambiciosa, coordenada e urgente em todas as frentes", acrescenta o BCE no boletim.

Como tal, o BCE decidiu na semana passada comprar até ao final do ano 750.000 milhões de euros de dívida pública e privada na Zona Euro.

Além disso, tinha anteriormente decidido comprar 120.000 milhões de euros de dívida até ao final do ano e desde novembro que tem estado a comprar obrigações a um ritmo mensal de 20.000 milhões de euros.

O BCE vai, portanto, comprar este ano dívida da área do euro no valor de 1,1 biliões de euros.