EFERoma

O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, afirmou esta sexta-feira num fórum realizado em Itália que espera que o crescimento na Zona Euro seja "próximo de zero ou até mesmo negativo" no quarto trimestre do ano devido ao aumento dos contágios de coronavírus.

"A minha opinião pessoal é que o crescimento vai ser próximo de zero ou até mesmo negativo no quarto trimestre na Zona Euro, penso que vamos ter notícias piores do que esperávamos em setembro", disse De Guindos num painel virtual organizado pelo grupo The European House-Ambrosetti.

Por outro lado, adiantou que o BCE prevê que "no primeiro semestre do próximo ano" haja um aumento no crédito malparado nos balanços dos bancos "devido ao impacto da pandemia", pelo que será fundamental que "as disposições estejam corretas, pois caso contrário poderá ser posta em causa a credibilidade dos balanços financeiros" das entidades europeias.

De Guindos reconheceu que a atividade económica na Zona Euro conseguiu uma retoma significativa no terceiro trimestre, mas alertou que o BCE espera uma maior deterioração no quarto trimestre do que a calculada inicialmente em setembro, devido ao aumento de novos contágios de coronavírus nesta segunda vaga e às medidas que os governos estão a adotar para a conter.

"Penso que não vai haver um bloqueio comparável ao que tivemos em março, mas vai ter um impacto na atividade económica", disse.