EFEBerlim

O Banco Central Europeu (BCE) está disposto a manter os juros negativos da sua taxa aos depósitos para apoiar a economia da Zona Euro, pois considera que os riscos geopolíticos em baixa no âmbito internacional persistem.

Nas atas da reunião do Conselho de Governo do BCE de 22 e 23 de janeiro, publicadas esta quinta-feira, aponta-se que a economia do bloco parece estar a estabilizar, mostrando inclusivamente sinais de uma certa recuperação, embora o contexto internacional -no qual ainda não se refere o coronavírus de Wuhan- dá lugar a dúvidas.

Também se destaca que a autoridade monetária vê "indícios" de que o último pacote de medidas de política monetária expansiva está a dar resultados, tendo relaxado de forma "substancial" as "condições financeiras".

"Os membros viram indicações de que o pacote de setembro do Conselho de governo se estava a transmitir de forma gradual à economia", recolhem as atas.

Além disso, o Conselho de Governo está convencido de que estas medidas irão repercutir na inflação: "Mostraram-se seguros da capacidade das medidas de política monetária para contribuir o necessário estímulo monetário para apoiar a expansão da Zona Euro e elevar gradualmente a pressão sobre os preços locais".

A inflação está ainda "longe" do objetivo da autoridade monetária, abaixo mas perto de 2%, e a tendência atual não assegura que se avance nesta direção, apesar do leve aumento que se percebe ultimamente na inflação subjacente.