EFEFrankfurt (Alemanha)

O Banco Central Europeu (BCE) prevê que os bancos da Zona Euro possam sofrer "perdas significativas" devido às consequências da pandemia da COVID-19 para o setor financeiro.

O BCE alerta no seu relatório de estabilidade financeira, publicado esta terça-feira, que a "pandemia aumenta os riscos para a estabilidade financeira" ao amplificar os problemas já registados no setor financeiro, nas empresas e nos governos".

A entidade monetária europeia enfatiza no documento que as respostas políticas à pandemia são essenciais para preservar a estabilidade financeira.

"Os bancos da Zona Euro, embora estejam agora melhor capitalizados, poderão enfrentar perdas significativas e mais pressão na sua rentabilidade", prevê o BCE.

O vice-presidente do BCE, Luis de Guindos, disse por videoconferência que "a pandemia causou a contração económica mais severa da história recente", mas as medidas políticas que os governos implementaram "impediram um colapso".

"No entanto, as repercussões da pandemia nas perspetivas de rentabilidade dos bancos e nas finanças públicas a médio prazo devem ser abordadas para que o nosso sistema financeiro possa continuar a apoiar a recuperação económica", disse Guindos.

As medidas que os governos implementaram evitaram que o sistema financeiro ficasse bloqueado, apesar das imensas perturbações sociais e económicas para travar a propagação da COVID-19.

Embora as taxas de contágio tenham baixado em muitos países, o impacto na economia e nos mercados expôs e exacerbou os problemas de estabilidade financeira existentes na Zona Euro, de acordo com o relatório do BCE.