EFEPequim

O banco português BCP, uma das maiores instituições financeiras do país, vai-se tornar na primeira entidade europeia a expedir cartões de débito e crédito da chinesa UnionPay, equivalente no país asiático à Visa ou Mastercard, adianta hoje o jornal de Hong Kong South China Morning Post.

Embora a UnionPay não tenha confirmado estas informações de maneira oficial, o jornal cita fontes conhecedoras do acordo, que será assinado no marco da visita de Estado que o presidente da China, Xi Jinping, realiza atualmente em Portugal.

27% do conjunto de acionistas do BCP está controlado pelo conglomerado chinês Fosun.

Os analistas esperam que este acordo seja "muito significativo" para os planos de expansão internacional da UnionPay, empresa que expediu um total de 90 milhões de cartões bancários no exterior -20 milhões destes em 2017-, liderando o setor em países como Laos, Mongólia ou Myanmar.

Além disso, a iniciativa é vista como parte da mudança de alvo das empresas chinesas, que veem agora a Europa como um melhor parceiro para o crescimento devido à guerra comercial com os Estados Unidos, que poderá ser retomada caso ambas partes não assinarem um acordo definitivo depois de Xi e o seu homólogo americano, Donald Trump, terem acordado no sábado passado uma trégua de 90 dias.

A UnionPay é a companhia de meios de pagamento com maior número de cartões em circulação do mundo -7.000 milhões- e é aceite em 23 milhões de lojas de 168 países.

Segundo o South China Morning Post, representantes de outras destacadas companhias chinesas, tais como a fabricante de dispositivos móveis Huawei ou a elétrica estatal State Grid, vão estar também presentes na cerimónia de assinatura de acordos.