EFELondres

A companhia petrolífera BP informou esta terça-feira que registou uma perda semestral atribuída de 18.031 milhões de euros e reduziu para metade o seu pagamento de dividendos no segundo trimestre devido à queda na procura de petróleo causada pela crise da COVID-19.

Num comunicado enviado à Bolsa de Londres, a BP afirmou que estas perdas milionárias no primeiro semestre do ano contrastam com os lucros atribuídos de 4.042 milhões de euros obtidos no mesmo período do ano anterior.

A faturação total da empresa no semestre - janeiro a junho - foi de 77.120 milhões de euros, enquanto que as perdas antes de impostos nos seis meses ascenderam a 20.860 milhões de euros.

A empresa pagará um dividendo de 4,46 euros por ação no segundo trimestre em comparação com os 8,9 euros no trimestre anterior, na sequência da queda da procura de petróleo bruto após o cancelamento dos voos causado pela pandemia.

A dívida líquida encontrava-se a 30 de junho em 34.765 milhões de euros, frente aos 39.525 milhões de euros no ano anterior, e a sua liquidez chega a 39.950 milhões de euros.

A companhia petrolífera estima que a procura global de petróleo seja entre 8 e 9 milhões de barris a menos por dia do que em 2019 e adverte que existe o risco da pandemia ter um impacto duradouro na economia global, com uma possível debilidade na procura de energia durante um período de tempo sustentado.