EFERio de Janeiro

A brasileira Embraer, terceira maior construtora de aviões do mundo, perdeu no ano passado perdas de 669 milhões de reais (cerca de 152,6 milhões de euros), que contrastam com o lucro líquido de 850,7 milhões de reais (cerca de 196,6 milhões de euros) de 2017.

A construtora aeronáutica, num comunicado enviado ao mercado, atribuiu as elevadas perdas de 2018 tanto ao menor resultado operacional, já que entregou menos aeronaves, principalmente executivas, como ao aumento das suas despesas causadas pela desvalorização do real, e o forte impacto da sua dívida, maioritariamente negociada em dólares.

"Os resultados do ano de 2018 sofreram um impacto negativo líquido de 696,9 milhões de reais (cerca de 152,6 milhões de euros) como consequência da revisão da base de custos do KC-390 (o cargueiro militar desenvolvido pela companhia) e da retração do segmento de aviação executiva", afirmou a Embraer no seu comunicado.

A companhia, líder no mercado mundial de aeronaves para voos regionais, explicou que, excluindo as despesas extraordinárias, o resultado líquido ajustado em 2018 foi negativo em 224,3 milhões de reais (perto de 52 milhões de euros), frente ao lucro líquido ajustado em 2017 de 995 milhões de reais (cerca de 230 milhões de euros).

Segundo o balanço enviado ao mercado, as receitas brutas da companhia caíram 0,29% no ano passado, até 18.721,6 milhões de reais (cerca de 4.326,8 milhões de euros).

O resultado bruto de exploração (ebitda), por outro lado, caiu 51,7% em 2018, até 1.017,0 milhões de reais (uns 235 milhões de euros).