EFELondres

A Autoridade do Canal de Suez (SCA, sigla em inglês) e a empresa proprietária do Ever Given, o navio porta-contentores que encalhou e bloqueou uma das rotas marítimas comerciais mais importantes do mundo no último mês de março, chegaram a um princípio de acordo, segundo informou a seguradora UK Club esta quarta-feira.

"O UK Club tem o prazer de anunciar que, após extensas discussões com o comité de negociação da Autoridade do Canal de Suez nas últimas semanas, foi alcançado um princípio de acordo entre as partes", disse em comunicado a seguradora da embarcação.

Desde 29 de março, quando foi reflutuado, o navio encontra-se no Grande Lago Amargo do Canal, mas o princípio do acordo, quando for assinado, permitirá a libertação da embarcação e das mercadorias que transporta.

"Juntamente com a empresa proprietária e as restantes seguradoras do navio, estamos a trabalhar agora com a SCA para finalizar a assinatura de um acordo de liquidação o mais rápido possível. Feitos esses procedimentos, serão tomadas as providências necessárias para a libertação do navio", acrescentou a nota da seguradora.

Enquanto continua no Grande Lago Amargo do Canal, a libertação da embarcação é aguardada por empresas que têm mercadorias nos milhares de contentores a bordo do Ever Given, cujo valor está estimado em mais de 600 milhões de dólares.

No domingo, um tribunal egípcio suspendeu o caso Ever Given enquanto continuavam as negociações para resolver a disputa financeira.

Inicialmente, a Autoridade do Canal de Suez exigia uma indemnização de 916 milhões de dólares, que foi posteriormente reduzida para 550 milhões pelos danos causados.