EFEBruxelas

A comissária europeia de Coesão, Elisa Ferreira, informou esta segunda-feira que foram aprovados mais de 34.000 milhões de euros com a aplicação da Ajuda à Recuperação da Coesão e Territórios da Europa (REACT-EU), 3.500 milhões dos quais já foram pagos em quatro meses.

A Comissão Europeia (CE) afirmou em comunicado que o REACT-EU foi o primeiro instrumento do programa NextGenerationEU a efetuar pagamentos de recuperação aos Estados-membros.

Numa conferência de imprensa realizada no âmbito da Semana Europeia das Regiões e Cidades 2021, Ferreira afirmou que a política de coesão esteve na primeira linha durante a fase de emergência da pandemia e que "é mais uma vez uma das principais políticas para a recuperação na União Europeia (UE)".

A comissária portuguesa afirmou que os instrumentos da política de coesão proporcionaram "o equipamento sanitário necessário para os cidadãos" e "salva-vidas para as pequenas empresas", além de terem dado "um contributo crucial" para a transição digital e ecológica em toda a UE.

Por sua parte, o comissário do Emprego e Direitos Sociais, Nicolas Schmit, acrescentou em comunicado que "graças ao apoio da UE, as empresas conseguiram manter os trabalhadores nos seus empregos e foram entregues embalagens de alimentos aos mais necessitados".

A Comissão detalhou na nota que em quatro meses foram aprovados 86% dos recursos REACT-UE disponíveis para este ano.

Especificamente, foram mobilizados 21.700 milhões de euros através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, 12.000 milhões de euros através do Fundo Social Europeu e 410 milhões de euros através do Fundo de Ajuda Europeia às Pessoas mais Desfavorecidas.

Ferreira destacou que os cidadãos reconhecem o apoio da política de coesão à recuperação, pois, de acordo com uma nova sondagem do Eurobarómetro, 69% dos inquiridos estão cientes das iniciativas contra os efeitos negativos da pandemia.

A comissária apresentou hoje estes números na conferência de imprensa de apresentação da 19ª Semana Europeia das Regiões e Cidades, um programa que começa esta segunda-feira e que contará com cerca de 300 eventos com o foco na recuperação conjunta dos Estados-membros.

Na apresentação, o presidente do Comité Europeu das Regiões, Apostolos Tzitzikostas, ressaltou que os fundos têm de responder "aos problemas reais dos cidadãos", razão pela qual as regiões e cidades, devido à sua proximidade com o povo, "têm uma palavra a dizer na forma como este dinheiro é atribuído".

Tzitzikostas salientou que os eventos da semana "servirão de apoio e inspiração" aos administradores regionais e locais que estão a preparar os planos de investimento para os fundos de coesão 2021-2027.

A Semana Europeia das Regiões e Cidades é uma plataforma que reúne regiões e cidades de toda a Europa, incluindo políticos, administradores, especialistas e académicos, que este ano debaterão temas como transição verde, coesão, transição digital e envolvimento dos cidadãos.