EFEBruxelas

A Comissão Europeia (CE) disse esta quinta-feira que os países da União Europeia (UE) devem "ter em conta a reciprocidade" ao estabelecer restrições aos viajantes, depois de o Reino Unido ter ontem isentado de quarentena os cidadãos da UE e dos EUA totalmente vacinados quando chegam a território britânico.

"Quando se trata de países onde nem todas as restrições tenham sido levantadas, em que se apenas permite a entrada aos viajantes vacinados ou essenciais, os Estados-membros devem ter em conta a reciprocidade", disse o porta-voz dos Assuntos Internos do Executivo comunitário, Jahnz Adalbert.

"Este é o quadro em que operamos", continuou o porta-voz, que no entanto disse que "cabe aos Estados-membros decidir como implementar" esta recomendação da UE aos 27.

O Governo britânico decidiu ontem que a partir de 2 de agosto os cidadãos e residentes da UE e dos EUA que tenham recebido a vacinação completa com uma das vacinas licenciadas pela Administração de Medicamentos e Alimentos (FDA) americana e pela Agência Europeia do Medicamento (EMA) não terão de fazer quarentena ao chegarem ao Reino Unido.

Contudo, terão ainda de apresentar um teste negativo antes de viajar e terão de fazer um teste PCR no segundo dia após a aterragem em solo inglês.

Além disso, a quarentena continuará a ser necessária quando se chega de um território da lista "âmbar plus", onde a França se encontra atualmente, ou da lista vermelha (neste caso, num hotel designado), como muitos da América Latina.