EFEPequim

A China anunciou na sexta-feira sanções contra seis indivíduos e uma instituição dos Estados Unidos em resposta às impostas a 16 de julho por Washington a sete funcionários chineses por "minar a autonomia" de Hong Kong, dois dias após visita da secretária de Estado adjunta dos EUA, Wendy Sherman.

Em nota divulgada ontem, o Ministério das Relações Exteriores da China detalhou que as sanções vão ser impostas ao ex-secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, à presidente do Comité de Avaliação Económica e de Segurança China-Estados Unidos, Carolyn Bartholomew, e ao ex-presidente do a Comissão Executiva do Congresso sobre a China Jonathan Stivers.

A diretora chinesa da ONG Human Rights Watch, Sophie Richardson, DoYun Kim, do Instituto Nacional Democrático de Relações Exteriores, o gerente de programa do Instituto Republicano Americano, Adam King, e o Conselho Democrático de Hong Kong também foram objeto de sanções.