EFEPequim

O Partido Comunista da China considerou que a tendência de constante crescimento em longo prazo da economia do país vai continuar, e apontou que a pressão externa precisa ser transformada, para avançar em reformas e no processo de abertura, segundo informou neste sábado a agência de notícias "Xinhua".

O politburo do Comité Central da legenda que comanda a China se reuniu nesta sexta-feira, para analisar os planos económicos para o país em 2020, assim como para elaborar medidas que visam a combater a corrupção, de acordo com a agência estatal de imprensa.

No encontro, foi avaliado que, diante da complicada conjuntura atual, tanto no país como no exterior, a China conseguiu seguir saudável e com desenvolvimento sustentado, económica e socialmente, conforme destaca a "Xinhua".

O núcleo dirigente do Partido Comunista considera que, em 2020, será o ano de acabar de "construir uma sociedade moderadamente próspera" em todos os campos.

"A tendência básica de constante crescimento em longo prazo da economia chinesa permanece inalterado para o presente e para o próximo período", destaca o politburo, que é formado por 24 membros.

Neste ano, o avanço da economia do país asiático está mais lento e chegou ao terceiro semestre a 6%, a marca mais baixa em quase 30 anos.

O crescimento para todo ano de 2019, de acordo com as autoridades locais, segue a girar em torno de 6% e 6,5% para todo o ano.