EFEGenebra

As companhias aéreas globais que formam a Associação Internacional do Transporte Aéreo (IATA) deram esta terça-feira o seu apoio à iniciativa do Governo grego para criar certificados de vacinação contra a covid-19, com os quais os viajantes poderão voar livremente pela Europa sem necessidade de apresentar um teste negativo.

A proposta do certificado digital, apresentada pelo primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, "devia ser urgentemente adotada pela Comissão Europeia (CE) e os seus países membros", assinalou o diretor-geral da IATA, Alexandre de Juniac, numa carta aberta à presidente da CE, Ursula von der Leyen.

Esta medida contribuiria a que a União Europeia se beneficiasse de um regresso à liberdade de movimentos, acrescentou De Juniac, que vai deixar a direção da IATA a 31 de março.

"Um certificado pan-europeu de vacinação, mutuamente reconhecido (pelos países da UE), seria um importante passo para que os governos ganhem confiança para abrir as suas fronteiras e os passageiros para voar sem as barreiras criadas pelas quarentenas", ressaltou.

A proposta grega vai ser debatida esta quinta-feira, 21 de janeiro, na reunião virtual dos líderes da União Europeia.

De Juniac afirmou que "estamos nos dias mais escuros da pandemia, mas medidas energéticas, combinadas com os programas de vacinação, devem dar-nos a esperança de que podemos restabelecer a liberdade de movimentos com segurança, o que vai salvar postos de trabalho, ligar famílias e reviver a economia".