EFEMadrid

O défice comercial de Espanha duplicou em agosto até 3.876,5 milhões devido ao aumento dos preços energéticos, que se refletiu numa subida das importações de 33,9% frente ao mesmo mês do ano passado, enquanto as exportações avançaram 25,1%.

Segundo os dados publicado esta terça-feira pelo Ministério da Indústria, Comércio e Turismo, as importações espanholas chegaram em agosto aos 25.973,5 milhões de euros, com uma forte subida nas de produtos energéticos, que aumentaram 101,1%, até aos 4.416 milhões, com os maiores preços.

Já as exportações chegaram aos 22.097 milhões de euros, mais 25,1% que no mesmo mês do ano anterior, com o qual se chega à diferença de 3.876 milhões, o maior défice mensal desde setembro de 2019.