EFEBruxelas

A taxa de desemprego da Zona Euro desceu uma décima durante outubro a respeito de setembro e ficou em 7,5%, enquanto no conjunto da União Europeia (UE) manteve-se em 6,3%, informou esta sexta-feira o escritório de estatística comunitária, Eurostat.

O escritório de estatística da UE elevou hoje o dado do desemprego de setembro nos países da moeda única desde o 7,5% anunciado a 31 de outubro a 7,6%.

Em qualquer caso, o dado de desemprego nos dezenove membros que compartilham o euro durante outubro foi o menor desde julho de 2008, enquanto o dos Vinte e oito foi o mais baixo desde o início da série mensal do Eurostat em janeiro do ano 2000.

Em termos anuais, o desemprego no área do euro caiu cinco décimas percentuais relativamente ao 8% registado em outubro do ano passado, enquanto na UE desceu quatro décimas desde o 6,7% anotado no décimo mês de 2018.

Por países, as menores taxas de desemprego em outubro deste ano concentraram-se na República Checa (2,2%), Alemanha (3,1%) e Polónia (3,2%), em contraste com as mais elevadas da Grécia (16,7% em agosto de 2019) e Espanha (14,2% em outubro).

Caso é feita a comparação anual, o desemprego baixou em vinte e quatro Estados membros e cresceu na República Checa (de 2,1% a 2,2%), Lituânia (de 6,1% a 6,4%), Dinamarca (de 4,9% a 5,3%) e Suécia (de 6,4% a 6,8%).

As maiores descidas registaram-se na Grécia (de 18,9% a 16,7% entre agosto de 2018 e 2019) e Estónia (de 5,7% a 4,3% entre setembro de 2018 e 2019).

Em Espanha, a queda anual do desemprego foi de quatro décimas, desde o 14,6% anotado durante o décimo mês de 2018, enquanto em termos mensais não houve variações face a setembro deste ano, mantendo-se em 14,2%.