EFEParis

A taxa de desemprego no conjunto da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) manteve-se estável em setembro em 5,2 % da população ativa, com 33,1 milhões de pessoas desempregadas nos países membros, segundo informou esta quarta-feira o organismo.

Na Zona Euro, a taxa de desemprego também se manteve estável em 7,5%, níveis similares aos de abril de 2008, justamente antes de se sentirem os efeitos da crise financeira.

O desemprego caiu três décimas no Luxemburgo, a 5,4%, e aumentou três décimas em Itália (9,9 %) e duas em Portugal (6,6 %).

No resto de países da Zona Euro, os níveis mantiveram-se inalterados ou com ligeiras variações de uma décima, como Espanha, onde baixou a 14,2%, e França, a 8,4%.

Estes dados não mudaram, em linhas gerais, no conjunto da União Europeia, mas voltou a subir pelo terceiro mês consecutivo na Dinamarca, com um aumento de duas décimas, a 5,3%.

Fora da Europa, o desemprego caiu duas décimas no Canadá (a 5,5%) e Estados Unidos (3,5%), e subiu três décimas na Coreia do Sul (3,4%) e duas no Japão (2,4%), mantendo-se estável no México (3,6%).

Quanto ao desemprego de jovens entre 15 e 24 anos, este dado foi estável (11,4%) no conjunto dos países da OCDE, mas aumentou duas décimas na Zona Euro (a 15,9%) e 1,1 pontos no Japão (a 4,8%), frente a uma diminuição de seis décimas nos Estados Unidos (8%), o seu nível mais baixo desde março de 1957, segundo a organização.