EFEBruxelas

A taxa de desemprego da Zona Euro ficou em 7,3% no mês de outubro, o que representa uma descida de uma décima relativamente ao dado de setembro, enquanto no conjunto da União Europeia (UE) permaneceu estável em 6,7%, informou esta quinta-feira o gabinete de estatística comunitária, Eurostat.

No décimo mês de 2020, o desemprego ficou em 8,4% nos 19 países que partilham a moeda única e 7,5% nos 27.

O Eurostat estima que 14,3 milhões de pessoas não tinham trabalho no clube comunitário durante outubro, 12 milhões dos quais se encontravam na Zona Euro.

Comparativamente a setembro de 2021, a quantidade de desempregados desceu em 77.000 indivíduos na UE e em 64.000 no área do euro, enquanto face a outubro do ano passado o desemprego baixou em 1,6 milhões na União e em 1,5 milhões entre os membros da moeda única.

Por países, a maior descida entre setembro e outubro foi registada na Croácia (menos três décimas, de 7,3 a 7%), enquanto a maior subida foi na Áustria (mais seis décimas, de 5,2 a 5,8%).

Espanha, por sua vez, teve uma descida de uma décima, até 14,5%.

Em termos homólogos, as maiores descidas foram detetadas na Grécia (menos 3,5 pontos, de 16,4 a 12,9%), Chipre (menos 3,4 pontos, de 10 a 6,6%) enquanto a maior subida foi registada na Bélgica (mais cinco décimas, até 6,3%.

Em Espanha, o desemprego caiu de 16,3% em outubro de 2020 a 14,6% no mesmo mês de 2021.

O desemprego juvenil ficou em 15,9% em outubro tanto na Zona Euro como no conjunto da UE face ao 16,1% da Zona Euro e 16% da União em setembro.

Os valores mais altos foram anotados por Grécia (33,2%), Espanha (30,3%), Itália (28,2%) e Suécia (25,1%), enquanto as taxas mais baixa ficaram nos Países Baixos (6,9%).

Por sexos, a taxa de desemprego para as mulheres na UE em outubro ficou em 7%, menos uma décima que no mês anterior, enquanto para os homens foi de 6,4%, também uma redução de uma décima.

Na Zona Euro, a taxa para as mulheres desceu de 7,8 em setembro a 7,7% em outubro e para os homens manteve-se estável em 7%.