EFEBruxelas

A taxa de desemprego da Zona Euro caiu uma décima durante outubro a respeito de setembro, ficando nos 8,4%, enquanto no conjunto da União Europeia (UE) manteve-se estável em 7,6%, informou esta quarta-feira o escritório de estatística comunitário, o Eurostat.

Em termos anuais, a taxa de emprego é um ponto percentual superior a respeito de outubro de 2019 tanto na Zona Euro como nos 27.

Durante outubro, Espanha registou a segunda taxa de desemprego mais elevada da União Europeia, com 16,2%, apenas atrás da Grécia, que marcava 16,8% em agosto, o último mês para o qual o Eurostat tem dados para este país.

Segundo o Eurostat, 16,2 milhões de homens e mulheres estavam sem trabalho na UE em outubro, 13,82 dos quais se encontravam na Zona Euro.

Por países, as maiores subidas do desemprego em outubro face a setembro tiveram lugar no Chipre (1,2 pontos percentuais, até 10,5%) e Eslováquia, Eslovénia e Roménia (os três com aumentos de duas décimas), enquanto as maiores caídas foram as da Bulgária (5 décimas) e Portugal (4 décimas).

Em termos anuais, a imensa maioria dos países registou caídas nas taxas de desemprego, com as maiores a serem registadas na Lituânia (4 pontos percentuais, até 10,4%), Chipre (3,9 pontos, até 10,5) e Irlanda (2,6 pontos, até 7,3).

(Mais informação sobre a União Europeia em euroefe.euractiv.es)