EFEMadrid

A despesa dos turistas estrangeiros que visitaram Espanha em novembro passado ascendeu a 4.638 milhões de euros, mais 10,3% que no mesmo mês de 2016, enquanto que na Catalunha o valor se reduziu 4,2%, segundo o Inquérito de Despesa Turística (Egatur) elaborado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) espanhol.

Nos onze primeiros meses do ano passado, a despesa dos turistas internacionais alcançou os 82.293 milhões, um aumento de 12,9% em relação ao mesmo período de 2016 e uma cifra recorde, faltando apenas contabilizar dezembro.

A despesa acumulada até novembro supera já o dado registado no conjunto de 2016, que foi de 77.625 milhões recorde.

A despesa média por turista situou-se em novembro em 1.054 euros, mais 2,7%, enquanto que a despesa média diária cresceu 0,4%, até 139 euros.

A duração média das viagens dos turistas internacionais situou-se em 7,6 dias, o que representa um aumento de 0,2 dias a respeito de novembro de 2016.

As comunidades autónomas com maior peso na despesa dos turistas em novembro foram as Canárias, com 32,5% do total; Catalunha, com 20,2%; e a Comunidade de Madrid, com 13,6%.

No entanto, a sua evolução foi díspar: a despesa dos turistas internacionais cresceu 14,8% nas Canárias e 21,5% em Madrid, mas desceu 4,2% na Catalunha.

Na Catalunha, também desceu a despesa média por turista, 2%, e a duração média das viagens, mas aumentou a despesa média diária, 9%.

Nos onze primeiros meses de 2017, as comunidades com maior peso na despesa total foram Catalunha (22,2%), Canárias (18,5%) e Baleares (17,6%).

No acumulado janeiro-novembro, a despesa cresceu 10,6% na Catalunha, um ritmo inferior aos registados nas Canárias (12,1%), Baleares (12,3%), Andaluzia (12,9%), Comunidade Valenciana (15,7%) e Comunidade de Madrid (15,9%).

Os principais países emissores quanto ao nível de despesa em novembro foram o Reino Unido, com 17,9% do total; Alemanha, com 13,3%; e o conjunto dos países nórdicos -Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia-, com 12%.