O coronavírus pode levar a economia alemã, que já se encontra muito fragilizada, à recessão, considera o economista chefe para a Alemanha do Deutsche Bank, Stefan Schneider.

Num estudo publicado hoje, o Deutsche Bank diz que "a conjuntura alemã é cada vez mais doente" e que os dados de produção industrial, entrada de pedidos e vendas a retalho de dezembro foram muito frágeis, apontando a uma ligeira queda do produto interno bruto (PIB) no quarto trimestre.

"Além disso, o coronavírus é um risco para a recuperação global" porque reduzem-se as esperanças de uma recuperação da economia chinesa, acrescenta Schneider.

Este fator poderá custar também ao PIB alemão 0,2 pontos percentuais no primeiro trimestre, pelo que parece possível uma recessão técnica no semestre de inverno, o quarto trimestre do ano passado e o primeiro deste.

Uma recessão técnica acontece quando a economia se contrai dois trimestres seguidos.

No ano passado, a economia alemã evitou a recessão técnica no último momento ao conseguir um ligeiro crescimento no terceiro trimestre.

O surto do coronavírus pode aumentar a cautela das empresas chinesas e deste modo travar a recuperação da procura do gigante asiático de bens alemães, o que prejudicaria mais as exportações das companhias alemãs, que já estão debilitadas.