EFEBruxelas

A dívida pública da Zona Euro aumentou até 85,9% do PIB durante o primeiro trimestre de 2019, frente aos 85,1% dos últimos três meses do ano passado, enquanto o défice público baixou até 0,5% nos países do euro, frente ao 1,1% anotado entre outubro e dezembro, informou hoje o Eurostat.

Segundo o escritório de estatística comunitária, no conjunto da União Europeia (UE) a dívida soberana cresceu até 80,7% do PIB desde janeiro até março, comparado com o 80% do trimestre final de 2018, enquanto o défice desceu a 0,6% desde o 1% do trimestre anterior.

Comparado com o primeiro trimestre de 2018, a dívida pública a respeito do PIB caiu tanto na Zona Euro (de 87,1% a 85,9%) como nos Vinte e oito (de 81,6% a 80,7%).

No caso de Espanha, a dívida pública aumentou no primeiro trimestre de 2019 até 98,7% do PIB, comparado com o 97,1% registado no último trimestre de 2018, o que coloca este país como o sétimo Estado membro da UE e da Zona Euro com o nível mais alto de dívida pública entre janeiro e março.

Além disso, o aumento de 1,6 pontos percentuais na dívida espanhola foi o quinto maior do clube comunitário.

No total, até catorze estados membros do clube comunitário acumulavam uma dívida pública superior a 60% do PIB, o limite estabelecido no Pacto de Estabilidade e Crescimento, que exige que o endividamento esteja abaixo dessa percentagem.

As proporções mais elevadas de dívida pública a respeito do PIB no final do primeiro trimestre de 2019 foram registadas na Grécia (181,9%), Itália (134%), Portugal (123%), Bélgica (105,1%) e Chipre (105%), enquanto as mais baixas deram-se na Estónia (8,1%), Bulgária (21,2%) e Luxemburgo (21,3%).