EFELondres

O produto interno bruto (PIB) do Reino Unido cresceu 0,9% em novembro relativamente a outubro, pelo que o tamanho da economia britânica ficou pela primeira vez nos níveis anteriores à pandemia de coronavírus.

O Escritório Nacional de Estatísticas (ONS) divulgou esta sexta-feira dados que confirmam que a economia nacional é 0,7% maior que em fevereiro de 2020, no começo da crise sanitária.

"A economia cresceu com força no mês anterior ao aparecimento da Ómicron, com excelentes resultados para arquitetos, comércio, transportadoras e serviços financeiros", disse em comunicado o economista-chefe do ONS, Grant Fitzner.

O especialista indicou que a construção também registou um avanço graças à disponibilidade de matérias-primas, o que contribuiu a uma subida do PIB em novembro maior do que o esperado pelos analistas, que, no geral, previam um crescimento de 0,4%.

"É incrível ver que o tamanho da economia voltou em novembro aos níveis anteriores à pandemia, demonstração da coragem e determinação dos britânicos", escreveu esta sexta-feira no Twitter o ministro das Finanças, Rishi Sunak.

Face ao último trimestre de 2021, o ONS indicou na sua análise que o PIB irá ficar em níveis similares ou superiores aos atingidos nesse mesmo período de 2019 caso a economia cresça pelo menos 0,2% entre os passados meses de outubro e dezembro e não houver revisões em baixa.

Neste sentido, os especialistas avisam que a economia nacional poderá ter experimentado uma redução depois da expansão da variante Ómicron do coronavírus no final do ano passado.

Contudo, confiam que o PIB voltará a subir no próximo mês de fevereiro com o fim previsto do chamado "plano B" (de restrições, que inclui o uso obrigatório de máscaras em alguns locais ou o regresso ao teletrabalho) adotado pelo Governo para combater a nova vaga.