EFERoma

A economia italiana caiu 5,3% no primeiro trimestre de 2020 em comparação com os últimos três meses do ano passado, ultrapassando amplamente a estimativa de 4,7% feita inicialmente pelo Instituto Nacional de Estatística italiano (Istat).

O Istat comunicou hoje os dados oficiais que confirmam que o país entrou em recessão e a caída de 5,4% do produto interno bruto (PIB) no primeiro trimestre do ano em comparação com o mesmo período de 2019.

O organismo acrescentou que esta forte queda não se registava desde o primeiro trimestre de 1995.

Com os dados hoje conhecidos, que refletem o impacto da pandemia da COVID-19, confirma-se o que já tinha sido antecipado em abril: o país entra em recessão técnica, uma vez que o seu produto interno bruto (PIB) registou uma contração de 0,3% no último trimestre de 2019.

Trata-se do maior retrocesso histórico registado desde que o Istat começou a recolher dados desta série no primeiro trimestre de 1995, e reconhece que tal se deve, em grande parte, ao impacto económico da pandemia de coronavírus, que explodiu no país a 21 de fevereiro.

De acordo com os seus cálculos, se não houver alterações, a economia italiana irá cair 5,5% no conjunto de 2020.