EFEFrankfurt (Alemanha)

O instituto europeu de investigação política económica e orçamental EconPol Europe alertou para a elevada dívida pública na Europa e recomenda aos responsáveis políticos que a considerem um risco e comecem a reduzi-la quando a economia normalizar.

O EconPol Europe, fundado pelo instituto alemão Ifo em 2017, destaca na sua conferência anual de 2021, que se realiza entre hoje e amanhã, que "os elevados rácios da dívida pública resultantes da crise de covid-19 devem ser vistos como uma possível fonte de problemas, mesmo num ambiente de taxas de juro baixas".

A pandemia vai deixar um ambiente mais incerto porque significará "uma mudança nos modelos de negócios" nos países que partilham o euro, que se afastam das indústrias que utilizam muita energia e do turismo.

"Na Europa, as perspetivas para os diferentes países divergiram consideravelmente, especialmente entre países especializados em turismo e com uma infraestrutura digital fraca", diz o economista Daniel Gros.

"Deve haver preocupação com a herança de um nível muito elevado de dívida pública", que em Itália se aproxima dos 160% do produto interno bruto (PIB), nos EUA dos 130% e na Grécia dos 200%, mais elevados do que os níveis considerados prudentes há anos atrás, adverte Gros.